Apoie o GEAE nas redes sociais

Primeiro aniversário do GEAE


Recebi com alegria e satisfação o boletim do GEAE com a edição especial comemorativa do seu primeiro aniversário de fundação. De fato, tudo começou com uma simples mensagem que enviei no dia 15 de Outubro de 1992 para a rede brasnet. Como as mensagens "caem" nas diferentes regiões do mundo, conforme as subredes da brasnet, em diferentes datas, passamos a considerar a data de fundação como dia 15. Aliás, lembro-me que a mensagem voltou dois dias depois sem ter sido distribuída pois havia enviado para o endereço errado. Bem, mas vamos narrar alguns acontecimentos ocorridos anteriormente a essa data.


Numa publicação do GEAE, descrevi brevemente a minha condição de médium psicografo que começou em 1979. Como citado, não tenho trabalhado nessa seara, porém, trata-se de uma inter-relação muito forte e basta uma mentalização no plano espiritual para receber sempre uma bela e amável mensagem do nosso amigo Fénelon. Esta mediunidade que chamo de "latência" ou melhor "on-line" não me ocupa tempo e tenho passado longos períodos sem manter qualquer dialogo. Todos nós temos muitos compromissos e essas responsabilidades fazem também parte de nossa evolução total. Assim, também deixo ao meu amigo, tempo para suas atividades espirituais que tenho certeza não são poucas, reservando as comunicações somente quando necessárias. Creio não encontrar forma para explicar no momento, mas a mais fácil compreensão e' de que a minha consciência começa a ser estimulada a iniciar um contato.


Cerca de um ano antes de viajar recebi uma comunicação no qual Fénelon disse mais ou menos o seguinte: "você ira viajar para os EUA e conhecera' muita gente boa que irão auxiliar em seu trabalho o qual será muito importante". Voltando um pouco mais, por volta do final de 1987, recebi um convite de uma amiga para trabalhar como coordenador das reuniões das terças-feiras num centro espírita da cidade. Aceitei o convite e fazia uma ligeira explanação espirita toda a semana, seguindo-se uma sessão final de passes. Trabalhei assim aproximadamente durante um ano. Não estava totalmente satisfeito e sempre achei que teria que continuar trabalhando em favor do espiritismo.


Quando resolvi prosseguir meus estudos profissionais nos EUA, nem imaginava que algo pudesse ser feito lá em relação ao espiritismo. Após receber a comunicação do Fénelon fiquei muito apreensivo e na expectativa de encontrar algum grupo espirita. Chegamos nos EUA em meados de dezembro de 1991 e já após pouco tempo fiquei decepcionado, pois não via nenhuma possibilidade de realizar algo espirita nesse local. Logo de início me interessei pelo e. mail. Adquiri uma conta na universidade e passei a manter contato com um amigo em Nebraska. O tempo continuava passando muito rápido e havia planejado permanecer durante um ano. Após uns seis meses esse amigo me mandou uma mensagem incentivando a me inscrever na brasnet dando algumas instruções. Resolvi me cadastrar e somente após a terceira mensagem enviada, fui finalmente colocado na lista, o que ocorreu após uns três meses do envio da primeira. Estávamos no início de Outubro de 92 e minha decepção continuava, agora já quase certo de que houvera um mal entendido na comunicação com meu amigo espiritual, pois realmente não havia a mínima condição de falar em espiritismo em Wooster. Começamos a ler as discussões na rede e as sinopses. Lembro-me que estava em pauta uma discussão muito calorosa sobre judeus e árabes e sentia uma energia negativa quando lia certas mensagens, porem via tudo com grande naturalidade e dizia comigo: "somente o tempo e' capaz de resolver tudo da melhor forma possível". De repente algo surgiu em minha mente: "será que o espiritismo poderia ser também um tema de discussão na brasnet?". De imediato pensei: "acho que isso não vai despertar muito interesse e estarei sujeito a consequências imprevisíveis". Uma forca maior, porém, tudo fez para que eu preparasse um pequeno texto e apertei a última tecla que enviava a mensagem para a rede toda, com um "friozinho na barriga". Estava iniciado algo a mais na seara espirita e eu não imaginava ainda que isso pudesse seguir longe. Os dias seguintes foram de total expectativa para mim. Ligava o computador e nada recebia, além disso, a mensagem voltou por ter enviado para o endereço errado, mas a retornei quase que imediatamente para o endereço global da brasnet. Num dia de manhã, entrei na rede e recebi um banho de luz, ao ler várias solicitações de adesão ao GEAE com palavras de apoio e boas-vindas. O tempo foi passando, e o GEAE encontrou um vento forte, mas mais forte ainda já estava o seu alicerce e a cada dia se fortalecia mais e mais com as novas adesões.


Somente bem mais tarde pude entender a bela mensagem de Fénelon, pois realmente, conheci muita gente amiga e passamos a trabalhar juntos. Apesar da distância que estamos separados, atuamos como que espiritualmente, não havendo distancia que não se pode percorrer quando queremos. Tudo e' possível segundo a nossa própria evolução. Na época em que fui aos EUA, nem mesmo havia a rede de computadores em nosso Campus aqui no Brasil como temos agora e assim era muito difícil entender a referida mensagem.
Agora já comemoramos o primeiro aniversário do GEAE e tenho certeza que muita gente se sentiu bem e fortalecida na jornada da vida com os benéficos fluidos emanados de cada um de nós que estamos ligados ao grupo, amigos encarnados e desencarnados. Com a mesma forca que tive no início do GEAE, continuo aqui, aguardando que o tempo me dê mais possibilidades para ajudar o pouco que tenho feito e o muito que tenho recebido através do conhecimento maior no caminho da VERDADE, que e' a DOUTRINA ESPIRITA.


Parabéns GEAE apesar do atraso...


Raul Franzolin Neto