Nasceu em Zurique, na Suíça, em 12 de janeiro de 1746, e morreu em Brugg, em 17 de fevereiro de 1827. De família protestante, filho de Johann baptist pestalozzi e de Suzanna Hotz Pestalozzi. Ficou orfão do pai cedo e foi criado pela mãe e uma criada. Casou-se com Ana Shulthess, em setembro de 1769 em Gebenstorf. Em 1770 teve seu primeiro filho, Hans Jacok, criado de acordo com os princípios de Rousseau. Sua primeira experiência ensinando durou de 1773 a 1780. Adquiriu em Argóvia uma propriedade chamada de Neuhof, onde acolheu crianças pobres e órfãs da vizinhança, que aprenderiam a trabalhar com tecelagem, o que serviria para seu sustento e para custear a própria formação. Contudo, esse primeiro empreendimento pedagógico enfrentou dificuldades que acabaram por levá-lo a falência em 1780. Passou a explorar suas idéias em livros, entre eles o romance "Leonardo e Gertrudes". 

Em 1798 quando ocorreu a invasão francesa na Suíça, Pestalozzi se dirigiu para Stans para se ocupar dos órfãos da guerra. Depois em 1799 começou a ensinar em Burgdorf, numa pequena escola popular. 

Em 1801 Pestalozzi lançou uma das suas principais obras chamada “Como Gertrudes ensina suas crianças” onde expõe seu método pedagógico. Pestalozzi em 1805 começou seus trabalhos no Internato de Yverdon, que funcionou durante 20 anos e recebeu alunos de diversos lugares da Europa. 

*Método de ensino:

Pestalozzi cria na necessidade da intuição (percepção) para a aprendizagem. A criança só aprenderia tal conhecimento se o tivesse percebido, experienciado na prática, e não apenas teoricamente. A percepção não somente externa, através dos sentidos, mas também interna, dos sentimentos, das emoções, sensações e pensamentos. A criança deveria ser levada a perceber por si, chegando à conclusões lógicas sobre o objeto de estudo através da observação, diferente do método catequético. A moral deveria ser o fim último da educação, respeitando o desenvolvimento e a individualidade da criança, sempre ensinando do mais simples para o mais complexo. Numa época em que ainda se usava violência física para ensinar, as ideias de Pestalozzi estavam a frente de seu tempo. O objetivo não deveria ser as notas, as provas mas a aprendizagem em si, sem recorrer a punições. 

Morf, um dos discípulos de Pestalozzi, resumiu em alguns princípios a pedagogia do grande professor: 

1. A intuição (percepção) é o fundamento da instrução;

2. A linguagem deve estar relacionada à intuição;

3. O tempo para aprender não é o de julgamento e crítica;

4. Em cada ramo, o ensino deve começar com os elementos mais simples, e continuar gradualmente, seguindo o desenvolvimento da criança, ou seja, em ordem psicológica.

5. Devemos insistir durante muito tempo em cada parte do ensino, para que a pessoa adquira a total posse dele;

6. A educação deve seguir a ordem do desenvolvimento natural e não a exposição dogmática;

7. A individualidade da criança é sagrada;

8. O principal objetivo do ensino fundamental não é fazer com que a criança adquira conhecimento e talentos, é desenvolver e aumentar os poderes de sua inteligência;

9- O saber deve corresponder ao poder e a aprendizagem à conquista de técnicas; 

10. As relações entre o professor e o aluno devem ser fundadas no amor;

11. A instrução adequada deve ser subordinada ao maior objetivo da educação.

*Influência de Rousseau e Comenius:
Em seu livro "O Canto do cisne" Pestalozzi fala da influência de "Emilio" e "Contrato Social" de Russeau na sua pedagogia. Também recebeu bastante influência de Comenius. Essa livros podem ser encontrados em pdf aqui: 

Contrato Social: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/contratosocial.pdf

Emilio: http://www.ensinarfilosofia.com.br/wp-content/uploads/2017/03/Rousseau-Emilio-Ou-Da-Educacao.pdf

*Influência de Pestalozzi sobre Rivail:

Na sua obra pedagógica "Plano Proposto Para a Melhoria da Instrução Pública" logo no inicio abaixo do seu nome está escrito "discípulo de Pestalozzi". Não só Rivail mas a própria Amélie também o era. Hippolyte Léon Denizard Rivail estudou dos 11 anos de idade até os 18 anos de idade com o próprio Pestalozzi em Yverdon.

Numa carta ao amigo Nicolovius, ministro de Estado da Prússia, data de 1793, Pestalozzi parafraseia João Batista: "Às vezes me parece que minha voz é como a voz que clama no deserto para preparar o caminho de alguém que virá depois de mim. É como se muitas vezes eu mesmo não soubesse o que estou fazendo e para onde estou indo."

Há uma filiação histórica entre Comenius, Rousseau, Pestalozzi e Rivail que desemboca mais tarde numa pedagogia espírita.

*Ideias pedagógicas de Rivail:

Obras pedagógicas de Rivail: https://www.kardecpedia.com/obra/45

Dora Incontri traduziu alguns textos pedagocios do mestre e lançou no livro "Kardec Educador - Textos pedagógicos": http://editoracomenius.com.br/index.php?id_product=46&controller=product

*Pedagogia espírita no Brasil:
Eurípedes Barsanulfo (1880 - 1918) foi um pioneiro na pedagogia espírita quando fundou em 1 de abril de 1907 o Colégio "Allan Kardec", primeira escola espírita do mundo, em Sacramento, Mina Gerais. Mas quem foi o primeiro a teorizar sobre a pedagogia espírita foi Herculano Pires (1914­ - 1979). Escreveu a obra "Pedagogia Espírita" onde diz: "Como o Brasil foi o país em que o Espiritismo encontrou condições psico­sociais, etnológicas e culturais mais favoráveis, foi aqui que ele se projetou mais cedo e de maneira mais evidente no campo educacional, e isso apesar de ter sido aqui, também, que; mais insistente e aguçado se fez a luta contra ele". 

A pedagogia espírita, que deve se basear na doutrina contida nas obras fundamentais, embora tenha raízes europeias, em Pestalozzi, Comenius, Rousseau e no próprio Kardec, surgiu no Brasil. A pedagogia espírita não tem a proposta de catequizar o individuo para torná-lo adepto da doutrina, mas olhar a educação tendo em vista o conhecimento da preexistência da alma e dos conhecimentos inatos e tendências instintivas.

Obra "Pedagogia Espírita" de Herculano: http://www.luzespirita.org.br/leitura/pdf/l53.pdf

Site da associação brasileira de pedagogia espírita:
https://www.pedagogiaespirita.org.br/

Cosme Massi, escritor e palestrante espírita, comenta sobre o que pensa a respeito de uma pedagogia espírita nessa entrevista disponível no youtube logo no começo. Segundo ele a pedagogia espírita é um trabalho ainda por se fazer: 
https://www.youtube.com/watch?v=H_zSzqb9NOo

Visita de Cosme Massi ao castelo de Yverdon:
https://www.youtube.com/watch?v=yOimTWbVHv8&vl=pt

Veja mais: https://www.youtube.com/watch?v=2qP6MiiEkOshttp://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/1283.pdf.
https://www.pedagogiaespirita.org.br/single-post/2016/04/20/Pestalozzi-e-Kardec-Quem-mestre-de-quem
https://www.youtube.com/watch?v=F7ZX9vrfTos

 

Texto de: Eric Tavares Pacheco 21/03/2018 (Facebook-GEAE)

Powered by OrdaSoft!