E a poesia continua...A reflexão

 

No avanço das energias vitais há que se destacar o pensamento
Qual doce rio que flui lentamente
Livremente
Avança em direção ao infinito
E a cada segundo
Nova visão se deslumbra
Visão que ultrapassa os desejos
Pois os sonhos se realizam
E se materializam em você mesmo
Qual o cego que tudo enxerga
Tudo vê no seu íntimo
E sabiamente reverte o erro em acerto

O burilamento da tristeza se converte em alegria
E de alegrias em alegrias
Tudo vai se eternizando
Transformando-se constantemente
Somos obrigados a nos convencer
De que nada pode desaparecer
E o rio segue fluindo lentamente
Mas ganha força
Pois novas descobertas ampliam o seu leito

Assim, sabemos que aqui não é
Nem o começo nem o fim
Refletir é o nosso maior bem
Dentre as leis que regem a vida
Há que se liberar o poder
E no silêncio lento
Como tudo que começou
Nunca há de se findar
É ali que renovamos forças
Aliada do ser
Qual agulha no palheiro
Remover cada pedra que promove o sofrimento

Seguramente surge o novo
Do passado que se apaga lentamente
Como tudo deve ser
Seguimos caminhando
Agora parece que mais rapidamente
E avança como deve ser
Lentamente...

 

Vade Mecum

 

Psicografia por Raul Franzolin Neto, Janeiro 2015

Fonte: Boletin GEAE 555

Powered by OrdaSoft!