Apoie o GEAE nas redes sociais

As Quatro Nobres Verdades
Uma breve comparação entre Budismo e Espiritismo

Carlos Iglesia

 

IV - Questões Filosóficas
Objetivos

- Budismo


"Segundo o Budismo, é o homem que traça a rota do seu próprio destino. Assim, Gautama Buda, exortava seus discípulos a que eles mesmos fossem seus próprios refúgios, ou ajudas. Estimulava em cada um o autodesenvolver-se, porque, mediante seu próprio esforço e dedicação, o homem tem em suas mãos o poder de libertar-se da escravidão, da ignorância e de todo o sofrimento" (cap. "Budismo como Ciência, Moral e Filosofia", Budismo, Psicologia do Autoconhecimento).
O Budismo busca a transformação do ser através da destruição da ilusão do "eu", superação da ignorância. Compaixão e sabedoria como resultado da destruição total do egoismo. Libertação do sofrimento encerrando-se o ciclo de causa e efeito através do desapego ao resultado das ações, fim do "eu" e do "meu"(sem que isso signifique exatamente extinção total do ser);
Na escola Mahayana, uma grande ênfase é dada ao ideal do Bodhisattva. O Bodhisattava é o ser que já atingiu todas as condições para a libertação final, para o Nirvana, porém prefere manter-se em contato com este mundo a fim de auxiliar na libertação dos demais seres. O voto do aspirante ao Bodhisattva, é justamente de buscar o despertar em beneficio de todos.


- Espiritismo


"O objetivo essencial do Espiritismo é melhorar os homens, no que concerne ao seu progresso moral e intelectual" Máximas extraídas do ensinamento dos espíritos, Allan Kardec, O Espiritismo em sua mais simples expressão.
"É assim que, pela prática do Espiritismo e com as instruções dos Espíritos elevados, pode o homem adquirir essa preciosa ciência da vida: a disciplina das emoções e das sensações, o domínio de si mesmo, essa arte profunda de se observar e, depois, de se assenhorear dos secretos impulsos de seu próprio ser". Léon Denis, Aplicacação Moral e Frutos do Espiritismo, No Invisível - FEB
O Espiritismo busca a transformação do ser através de sua reforma moral, com a superação do egoismo e o desenvolvimento de virtudes como a caridade e a sabedoria. Pela palavra "caridade" entende-se, na Doutrina Espírita, o amor ao próximo em sua expressão mais sublime, já a palavra "sabedoria" significa o uso ético dos conhecimentos adquiridos, inclusive das leis universais, como a de causa e efeito. Como conseqüência do progresso espiritual resultante, há a libertação do sofrimento e o fim da necessidade do espírito reencarnar-se, por não necessitar mais do aprendizado proporcionado pelo ciclo de reencarnações.
Assim descreve Kardec as caracteristícas dos espíritos que atingiram esse estágio de progresso:
Espíritos Puros: "Percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Havendo atingido a soma de perfeições a que a criatura é suscetível, não têm mais a sofrer nem provas, nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação nos corpos perecíveis, vivem a vida eterna que desfrutam no seio de Deus" (cap. Dos Espíritos, O Livro dos Espíritos, Allan Kardec).


- Análise


O resultado da correta prática do Budismo leva aos mesmos resultados da prática da Doutrina Espírita. Os dois caminhos espirituais resultam na libertação do sofrimento, pelo fim do apego ao mundo material e ao "eu" egoísta. O "Iluminado" Budista corresponde ao conceito de "Espírito Puro" dos Espíritas.
É muito importante notar que as palavras "compaixão" para os Budistas e "caridade" para os espíritas, tem sentido mais amplo que o empregado na conversação cotidiana. A compaixão budista, longe de ser um sentimento de piedade, é o interesse profundo e amoroso pelo destino de todos os seres e se reflete na ação de ajuda-los a encontrar seu caminho de iluminação. A caridade espírita, também está longe de ser a esmola ou simplesmente a ajuda material, é o amor fraterno em ação, representando tanto o interesse pelo bem-estar do próximo, como o desejo mais profundo de auxilia-lo na busca da verdadeira felicidade.
Ambos, compaixão e caridade, nascem no ser a partir da compreensão de que somos mais do que um corpo material, de que estamos ligados a todos os seres e compartilhamos o mesmo destino. A felicidade, a libertação do sofrimento, é o objetivo de todas as criaturas e trabalhar em prol deste objetivo, auxiliando a todos, a meta mais nobre a que o ser pode almejar.