Fonte: Boletim GEAE 12(483), 15/10/2004

 

Diálogo Fraterno sobre Ciência & Espiritismo

 

Alexandre Fontes da Fonseca, Brasil

Ademir Xavier, Brasil

Carlos Alberto Iglesia Bernardo (Moderador e Editor do GEAE)

23) André Luiz, no livro "Evolução em Dois Mundos", avança em diversas explicações sobre o Fluído Cósmico e o Corpo Espiritual. Há paralelos entre estas explicações e as teorias científicas atuais?

 

[Ademir] Isso depende por demais da maneira particular de interpretãção das teorias. Como dissemos, as teorias tem aplicação e interesse até o ponto onde elas se mostrem capazes de explicar os fenômenos. Conexões com outras interpretações não fazem parte do trabalho do dia-a-dia de um físico (o que parece ser mais apropriado a um epistemólogo). Assim tudo é possível, e só o futuro dirá se essas reinterpretações são viáveis ou não, na medida em que se tornarem aptas a melhor descrever o universo que observamos. 

24) Normalmente os Físicos, e mais ainda os dedicados a Cosmologia, esquivam-se a responder perguntas sobre Deus, mas a própria fundamentação da Cosmologia não é uma ordem no Universo que possibilite a aplicação das mesmas leis físicas em qualquer canto dele? Esta ordem subjacente ao Universo não é a própria conceituação de uma "Causa Primeira"?

 

[Ademir] Existe um princípio que tem sido redescoberto em cosmologia denominado "Princípio Antrópico". Ele diz que o universo é do jeito que é pois foi o único que propiciou a existência e desenvolvimento de vida consciente. A Cosmologia sempre esteve as voltas com a idéia de Deus e o princípio antrópico parece apontar na direção da importância da idéia de consciência (Espírito para nós espíritas). 

Mas, por causa do que dissemos nas questões acima (ver questão 23), as teorias são úteis na medida em que conseguem explicar suficientemente bem o que observamos. Se existe uma teoria (paradigma) que explique a estrutura, distribuição, cor, densidade, temperatura da matéria "detectável" sem a utilização da idéia de Deus, essa será adotada pois, nesse caso, a idéia de Deus se mostra supérflua. Em ciência (e nos paradigmas) é preciso que um princípio tenha funcionalidade para ser incorporado. A idéia de Deus  - embora fale profundamente as nossas almas - é superflua nas descrições da física. Isso não significa que Deus não exista mas fornece bastante combustível ao Ateísmo. 

[Alexandre] A questão é filosófica. A física e a cosmologia não estão preocupadas em responder se Deus existe ou não. Elas estão preocupadas com o estabelecimento de relações causais práticas. Por exemplo as leis de Newton explicam o movimento. Porque as leis de Newton são como são, não é mais escopo da física. Mas isso não resume nem simplifica a questão. No fundo eu não me preocupo com a prova científica de Deus. Penso que antes disso a gente deve pensar em possíveis verificações para a existência e sobrevivência da alma. 

Mas essa questão sobre “causa primeira” mostra que o princípio de causa e efeito é extremamente básico no Espiritismo. Se eu disser para voces que a mec. quântica afrouxou esse princípio (o que é verificado experimentalmente) voces ficarão assustados! Se a teoria quântica permite que alguns efeitos ocorram “sem uma causa” então isso é um problema porque no momento inicial do Big Bang, todos os fenômenos eram regidos por leis quânticas (tudo confinado em escalas microscópicas). Então devemos ter mais cautela antes de sair por aí expondo nossas idéias porque os materialistas são muito inteligentes e podem pegar essas “brechas” para fazer desacreditar no espiritismo.  

25) Onde entram as teorias do "Universo Holográfico" e do "Universo Autoconsciente" tão divulgadas pela midia? Em que estas teorias abririam campo para as interpretações espiritualistas do Universo? 

 

[Ademir] Não conheço essas teorias. Parecem a meu ver interpretações em forma de síntese de alguns conceitos da física moderna tal como a noção de não localidade, a idéia de que existe uma conexão oculta entre fenômenos ou efeitos que se localizados espacialmente em pontos diferentes. A não localidade parece implicar a primeira vista na quebra das conexões causas mas, analisando-se com mais cuidado, a causalidade não é violada em nenhum momento se por transmissão de sinal entendemos a transmissão de informação relevante sobre um determinado sistema. Minha resposta a essa questão segue a linha exposta nas respostas às questões 21 e 18.  

[Alexandre] A teoria do Universo Autoconsciente foi proposta pelo Prof. Dr. Amit Goswami com a chamada filosofia idealista. Ao meu ver essa foi a proposta espiritualista com base em mec. quântica mais séria que já vi superando o trabalho do Dr. Hernani G. Andrade por utilizar de forma bastante precisa os conceitos quânticos. Porém o Prof. Amit Goswami acredita no panteismo e ele não incluiu o espírito como individualidade independente da matéria (corpo físico). Nesse caso, a teoria dele, por mais interessante que seja em fazer uma proposta para o Criador, não nos inclui como espíritos. Portanto, ela deve ser considerada como uma proposta espiritualista e não espírita. 

Eu já li algo a respeito da idéia holográfica de que o Universo registra todas as informações do que ocorre e que em cada região podemos obter informação sobre o que acontece com o todo. Essa é uma proposta esotérica para explicar a clarividência, por exemplo, onde, ao se colocar em estados alterados de consciência onde as ondas mentais vibram de modo mais coerente, uma pessoa acessaria a informação sobre “coisas” e “eventos” distantes no espaço e no tempo. Mas eu não conheço mais a respeito e não sei como testar esta teoria. Mas o espiritismo apresenta uma explicação de valor tão científico ou mais do que essa teoria.