História do Espiritismo (Parte III) 

 

                                                                                     José Basilio

1854 ** A PRIMEIRA ORGANIZAÇÃO ESPÍRITA

 Neste ano é fundada em N.Y. a primeira organização espírita regular, denominada Sociedade para a Difusão do Conhecimento Espírita e contava com pessoas como o juiz Edmonds e o governador Tallmadge, de Wisconsin. Entre as atividades havia um jornal "The Christian Spiritualist" e o contrato com Kate Fox para sessões diárias, franqueadas ao publico.

 ==================================================================

 1856 ** AS OBRAS DE KARDEC

 O Espiritismo, codificado por Kardec, possui três ramos: filosófico, científico e religioso. As obras que produziu enfocam as três áreas de maneira mais objetiva.

 Kardec escreveu, baseado nas respostas dadas pelos espíritos às médiuns, que tinham menos de 15 anos, os seguintes livros:

 1856 - primeira edição de "O Livro dos Espíritos”

 1857 - segunda edição de "O Livro dos Espíritos" - de caráter filosófico

 1861 - "O Livro dos Médiuns" - de caráter científico

 1864 - "O Evangelho Segundo o Espiritismo".- de caráter religioso

 1865 - "O Céu e o Inferno”

 1867 - "A Gênese”

 A primeira tradução para o português de "O Livro dos Espíritos" foi feita em 1875 por Carlos Travassos.

 As obras de Kardec são consideradas pela maioria dos espíritas do Continente como a base da filosofia religiosa do futuro, por estar em harmonia com o avanço das descobertas cientificas nos vários outros ramos do conhecimento humano (Psicologia, Psiquiatria, Parapsicologia, Ufologia, Analise, Biopsíquica, Medicina, Biologia, Física, Química, etc).

 O Jornal Nacional (Rede Globo) de 06/01/95 noticiou que cientistas alemães desenvolveram um método pelo qual pessoas totalmente paralisadas possam controlar, por exemplo, uma cadeira de rodas motorizada, através da utilização da força do pensamento.

O sistema apresentado ainda é precário, pois utiliza fios ligados ao paciente.

 Hoje estamos em face de uma comprovação total da Ciência Espírita, não apenas pela Parapsicologia, mas também pela Física Nuclear, pela Biologia avançada, pela Astronáutica, por todos os segmentos do conhecimento rumo a anti-matéria, ao corpo bioplasmico, as provas da reencarnação, aos fenômenos theta (investigados e comprovados por Pratt) que provam as várias formas de comunicação mediúnica.

 "A mente não é física" afirma J. B. Rhine.

 "A mente é uma estrutura psicônica, formada de átomos mentais, e depois da morte do corpo pode comunicar-se com as mentes encarnadas", sustentou Wathely Caringthon.

 "A Ciência sem a Religião é aleijada e a Religião sem a Ciência é cega" afirmou Albert Einstein (1879-1955).

 Kardec tem hoje o seu panorama de reconhecimento publico: a Câmara Municipal de São Paulo - SP instituiu o Dia de Allan Kardec, a ser comemorado anualmente na semana de 18 de abril. O evento passa a constar no Calendário Oficial de Eventos do Município, conforme a lei número 270/94.

 O livro espírita foi um dos sucessos da 13a Bienal Internacional do Livro, realizada entre 17 e 28 de agosto de 1994, em São Paulo. Pesquisa da Datafolha mostrou que "O Livro dos Espíritos" de Allan Kardec, constou como a 4a obra mais lida entre os frequentadores do evento. Mostrou ainda que a Bienal teve 89% de aprovação; do publico presente 65% acharam bom e 24% ótimo.

 Segundo Armando Antongini Filho, presidente da Câmara Brasileira do Livro, as obras sobre Espiritismo, Espiritualismo e Esoterismo, constituem um segmento que vem crescendo entre 15 e 20% ao ano.

 ==================================================================

 1857 ** DANIEL DUNGLAS HOME

 Nasceu em 1833 em Currie, próximo a de Edimburgo. Aos 13 anos já possuía faculdades psíquicas. Seu notável poder curador tinha excitado a admiração e persuadido pelos amigos, começou a estudar medicina. Tinha a saúde muito delicada e sua educação foi interrompida pela doença. Em 1857 o Clube União, de Paris, ofereceu-lhe 2 mil libras por uma única sessão e ele, pobre e inválido, recusou terminantemente. Disse ele: "Fui mandado em missão; essa missão é demonstrar a imortalidade. Nunca recebi dinheiro por isso e jamais o receberei".

 Houve casos de levitação, em 1857, com Home e vários outros testemunhados por Sir Willian Crookes.

 A caridade era uma das mais belas características de Home e só se tornava pública por acaso e indiretamente.

 Home dispensava a obscuridade completa em seus trabalhos de materialização (caso raro). Apesar de inúmeras testemunhas e do grande trabalho executado, a imprensa britânica o taxou de impostor e charlatão.

 ==================================================================

 1861 ** A QUEIMA DE LIVROS DE KARDEC EM BARCELONA

 Em 09/10/1861 as 10:30h, por ordem do bispo da cidade, Dom Antonio Palau Y Termens, foram queimados cerca de 300 exemplares entre eles:  "O Livro dos Espíritos", "O Livro dos Médiuns" e "Revista Espírita" de Kardec.

 Os principais jornais da Espanha deram a circunstanciada notícia do acontecimento, que os órgãos da imprensa liberal reprovaram energicamente.

 Os jornais da Franca também citaram o fato e diz um deles que: "Não achava uma palavra para aquele ato de intolerância do clero, digno da Idade Media.”

 Os livros foram remetidos da França para a Espanha em caixas, entre outras mercadorias.

 A grande repercussão que teve este ato concorreu para a propaganda da doutrina e fez progredir o Espiritismo na Espanha e em outros lugares. As obras queimadas foram procuradas com maior avidez.

 ==================================================================

 1861 ** FOTOGRAFIA ESPÍRITA

 Iniciou-se em Boston por Willian H. Mumler, que ao tirar uma foto sua, sozinho na sala, após revelar a chapa notou que havia mais alguém na foto. Era sua prima que havia morrido há 12 anos.

 Perguntado se as aparições ao lado de pessoas nas fotos se davam mais com pessoas espíritas, respondeu que não; as aparições se manifestavam mais ao lado dos céticos.

 O Rev. Stainton Moses achava que as formas fotografadas eram moldadas em ectoplasma.

 Pesquisas mais modernas sustentam que a imagem é precipitada no filme fotográfico ou que uma tela psíquica é aplicada à chapa (filme).

 Há uns 50 anos, a existência de um corpo fluídico nos seres vivos recebeu inesperada confirmação da ciência materialista. O técnico em eletricidade Semyon Kirlian, coadjuvado por sua esposa Valentina, na Rússia, construiu uma câmara elétrica de alta frequência na qual se podiam obter fotografias coloridas, de grande beleza, de uma parte imaterial nos animais e plantas.

 Mais tarde concluiu-se que fotos de objetos inanimados também emitem um halo luminoso em torno de si. Entre fotos de tecidos vivos e de objetos há uma diferença acentuada, pois nos primeiros, a luz é tremulante, mais extensa, variável e de cores diversas; nos objetos, ela é estreita, uniforme e imóvel.

 Comprovou-se que a luz irradiada de seres vivos varia de acordo com o estado de sanidade dos tecidos e até com o estado emocional das pessoas.

 ==================================================================

 1863 ** WILLIAN DENTON autor de "Segredos da Natureza", livro de psicometria

 Foi a primeira pessoa a pesquisar as moldagens feitas com corpos de ectoplasma. Em alguns casos mãos materializadas eram mergulhadas em parafina líquida, que após se solidificarem e com a ausência do ectoplasma formavam moldes perfeitos de mãos humanas.

 ==================================================================

 1869 ** INVESTIGAÇÕES COLETIVAS SOBRE O ESPIRITISMO

 Diversas comissões foram formadas para as investigações no Espiritismo, entre elas as principais foram: 1869-70: Sociedade Dialética de Londres; 1884 - Comissão Seybert, e de 1905 a 1907 - Instituto Geral Psicológico da Franca.

 Na comissão da França, foi convidada a médium italiana Eusapia Palladino (ver mais adiante sobre esta notável figura).

 As pessoas que compunham estas comissões pouco entendiam da natureza do trabalho que defrontavam e pouco tempo tinham para se dedicar a essas investigações. A incredulidade e a falta de bom senso fizeram com que os relatórios das comissões fossem parciais e injustos.

 Os homens da ciência se dividem em três classes: 1a - Os que não conhecem o assunto, mas criticam assim mesmo; 2a - os que conhecem, mas temem confessá-lo, por isso negam; e 3a - os que sabem que é verdade e não temem proclamá-lo.

 Havia na época um prestidigitador chamado Harry Houdini que cobrava 2 a 3 dólares por pessoa para ouví-lo em discursos atacar os fenômenos, afirmando ser tudo um embuste, mesmo tendo assistido a eles.

 No livro do Dr. Carl Wickland "The Gateway of Understanding - O Pórtico do Entendimento", nas páginas 55 a 60 há uma narração da manifestação do espírito do Sr. Houdini, que se confessou profundamente arrependido pelos atos cometidos.

 Ele manifestou-se graças a mediunidade da Sra. Wickland.

 ==================================================================

 1870 ** AS EXPERIÊNCIAS DE SIR WILLIAN CROOKES (de 1870 a 1874)

 Willian Crookes (ver mais dados acima) inicia as primeiras pesquisas no espiritismo que foram publicadas na íntegra em 1874, causando grande tumulto, o que ameaçou de expulsão da Sociedade Real o cientista, que passou a ser mais cauteloso em suas opiniões quando exprimidas publicamente.

 Realizou experiências com materializações com a médium Miss Florence Cook, de 15 anos.

 Em 1874 Crookes tirou 44 fotos de um espírito materializado, que se chamava Katie King. Durante estas experiências, Crookes comprovou que a luz incidente sobre o médium de efeitos físicos, quando em transe, lhe é prejudicial (com raríssimas exceções) e que o médium também sofre severo desgaste de energias.

 Foram feitos experimentos com o efeito da luz sobre o ectoplasma e o espírito materializado começou a desfazer-se gradativamente.

 Pesquisas no campo da transfiguração demonstraram que o ectoplasma, sendo insuficiente para construir a figura completa é usado para revestir o médium de modo que este possa formar a fisionomia desejada.

 Ficou comprovado também que o peso de objetos pode ser alterado para mais ou para menos conforme a vontade do espírito.

Instrumentos musicais foram tocados sem contato das mãos.

 Friedrich Zollner, na Alemanha, fez praticamente o mesmo.

 Em 1874, Crookes esquivou-se de reeditar os seus artigos sobre o assunto e não quis que circulassem as fotos tiradas de Kate King (hoje em arquivos).

 Em 1904 Willian Crookes admitia em entrevistas a jornais de que o Espiritismo havia liquidado o velho materialismo e que tinha crença absoluta de que os nossos entes queridos, ao passarem para o Além, ainda nos observam.

 Se alguém nos diz que não é obrigado a dar crédito a crenças, só porque um intelectual crê, deveria pensar que se Einstein acreditou na existência de Deus, isso não significa que todos venham a acreditar em Deus só porque Einstein abraçava esta crença.

A crença não existe apenas pela fé. O individuo crê no que vê, no que ouve, no que sente, no que observa, no que experimenta. Crer é ter como verdadeiro. E tanto se pode ter como verdadeira a existência de Deus, baseada na fé, como a do fenômeno, baseada no fato.

 Tanto se pode crer na existência de Deus, como presumia Einstein, por misticismo, como na existência de seres invisíveis e inteligentes, como assegurava Crookes, por suas experiências. Ora, a crença de Einstein poderia provir da fé, mas a de Crookes proveio da mediunidade.

 Havia fatos, provas para a crença de Crookes, enquanto não sabemos a que existia para a crença de Einstein. A autoridade de Crookes não se limitou a Física e a Química. Sempre o consideraram o mais eclético dos sábios ingleses.

 Crookes verificou durante três anos a existência de Katie King que frequentemente se materializava ao lado da médium Florence Cook, à vista de testemunhas.

 "As campanhas fanáticas e difamatórias contra o Espiritismo afastaram numerosos cientistas da nova Ciência e impediram o desenvolvimento natural da doutrina no mundo. Perseguições religiosas, condenações acadêmicas, escândalos na imprensa, calunias como as lançadas sobre Crookes e Richet produziram os resultados que as forças obscurantistas objetivaram. O Espiritismo, como a Filosofia Grega no tempo de Diógenes, que se refugiou num tonel, teve que refugiar-se no coração humilde mas sincero do povo, na cripta dos sentimentos religiosos. A Ciência Admirável de Descartes apagou as próprias luzes e enfurnou-se nos tonéis da beatice. Mas o avanço irresistível das Ciências ressuscitou das cinzas essa Fênix de asas consteladas, para que o seu esplendor possa iluminar o futuro do mundo. A consciência dos espíritas, essa Bela Adormecida do bosque do comodismo, terá que despertar ante a fulguração dos novos tempos" - Jose Herculano Pires em "O Espírito e o Tempo".

 ==================================================================

 1872 ** O REVERENDO WILLIAN STAINTON MOSES

 Nasceu em 1839 e foi o escritor que deixou sua marca mais forte sobre o lado religioso do Espiritismo, até então. Praticante da caridade sem interesse, atendia aos pobres e doentes, fazendo curas em sua igreja. Tornou-se espírita em 1872.

 Usava o pseudônimo de M. A. Oson para escrever suas obras.

 Deixou várias obras sobre elevados aspectos do Espiritismo e tornou-se redator da revista Light (1881 - mais a frente).

 Sua mediunidade abarcou quase todos os fenômenos físicos conhecidos.

 Seus livros: "Identidade dos Espíritos (1879)"; "Aspectos mais Elevados do Espiritismo (1880)"; "Psicografia (1882)"; e "Ensinos Espiritistas (1883)".

 

Fonte: Boletim GEAE, 09(155), setembro 1995