User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

 

Estudando o Esperanto

 Carlos Alberto Iglesia Bernardo

Música em esperanto = Jen - La Porkoj-Sako

 

        

Emmanuel PA MISSÃO DO ESPERANTO

(Mensagem de Emmanuel, psicografada por Francisco Cândido Xavier na cidade de Pedro Leopoldo (MG), em 19 de janeiro de 1940, durante uma sessão em que estava presente Ismael Gomes Braga)

No cômputo das transformações por que passa o mundo, não são poucos os núcleos de organização espiritual que se instalam na Terra com vistas ao porvir da Humanidade. Se por toda a parte observamos o esboroamento das obras humanas, a fim de que se renove o caminho da civilização, contemplamos também as atividades do exército de operários das edificações do futuro, como se fossem construtores de um mundo novo, dispersos nas estradas terrestres, mas procurando ajustar suas diretrizes. São esses, sim, os artífices do progresso divino. Empunham o alvião formidável da fé, acima de tudo, n’Aquele que é a luz dos nossos destinos. No acervo desse aparelhamento de energias renovadoras, objetivando o vindouro milênio, quero referir-me ao Esperanto, abraçando fraternalmente o nosso irmão que se constituiu pregoeiro sincero da sua causa, obedecendo ao determinismo divino das tarefas recebidas nas luzes do plano espiritual.

Jesus afirmava não ter vindo ao Planeta para destruir a Lei, como o Espiritismo, na sua feição de Consolador, não surgiu para eliminar as religiões existentes. O Mestre vinha cumprir os princípios da Lei, como a doutrina consoladora vem para a restauração da Verdade, reconduzindo a esperança aos corações, nesta hora torva do mundo, em que todos os valores morais do Orbe periclitam nos seus fundamentos, assaltados pelas doutrinas da violência que embriagaram o cérebro da civilização atual, qual veneno amargo a destruir as energias de um corpo envelhecido.

Também o Esperanto, amigos, não vem destruir as línguas utilizadas no mundo para o intercâmbio dos pensamentos. A sua missão é superior, é da união e da fraternidade rumo à unidade universalista. Seus princípios são os da concórdia e seus apóstolos são igualmente companheiros de quantos se sacrificaram pelo ideal divino da solidariedade humana, nessas ou naquelas circunstâncias.

A língua auxiliar é um dos mais fortes brados pela fraternidade, que ainda se ouve nesse Planeta empobrecido de valores espirituais, neste instante de isolacionismo, de autarquia, de egoísmo e de nacionalismo adulterado.

O exemplo da Europa moderna nos faculta uma ideia dessa penosa situação. Todos os povos têm seus advogados entusiastas que, com orações ardorosas, justificam esta ou aquela medida de seus governos. As nações são grandes tribunas onde cada um fala se si mesmo, humilhando ou conquistando o que é de seu irmão. Cada um aplaude todo crime político, desde que seja praticado dentro de suas fronteiras. Entretanto, a grande Europa, essa entidade maternal e sublime, que cooperou para o aperfeiçoamento da Humanidade, que instruiu e educou, elevando o espírito do mundo, essa não tem advogados, não dispõe de uma voz que externe os gemidos de seu coração dilacerado, porque as fronteiras lhe dividiram todos os seus filhos, estabelecendo separações de areia e aço, transformando-a num deserto triste de corações, onde não existe a fonte de amor para reconfortar as almas.

Sim, nesta hora o Esperanto é uma força que atua para a união e a harmonia, com o facilitar que se estabeleça a permuta dos valores universais do pensamento, em forma universalista. Sonho? Propaganda só de palavras? Novo movimento para criar um interesse econômico? Todas essas suposições poderão ser formuladas pelos espíritos desprevenidos; Mas, somente pelos desprevenidos, que aguardam a adesão geral, para comodamente expressarem suas preferências. Os que, porém, buscam a luz da sinceridade para o exame de todos os assuntos, saberão encontrar, no movimento esperantista, essa claridade reveladora que, em realizações sagradas, desde agora, esclarecerá, mais tarde, as ideias do mundo, fazendo ressaltar a nobreza dos seus princípios, orientados por aquela fraternidade que nasce do pensamento divino de Jesus, para todas as obras da evolução humana.

Sim, o Esperanto é lição de fraternidade. Aprendamo-la, para sondar, na Terra, o pensamento daqueles que sofrem e trabalham noutros campos. Com muita propriedade digo: "aprendamo-la", porque somos também companheiros vossos que, havendo conquistado a expressão universal do pensamento, vos desejamos o mesmo bem espiritual, de modo a organizarmos, na Terra, os melhores movimentos de unificação.

Deus é venerado pelos homens através de numerosas línguas, de que se servem as seitas e as religiões, todas tendendo para o maravilhoso plano da unidade essencial. Copiemos esse esforço sábio da natureza divina e marchemos para a síntese da expressão, malgrado a diversidade dos processos com que exprimem os pensamentos.

Todo esse esforço é de fraternidade legítima e, rogando a Jesus que abençoe os trabalhos e as esperanças de nosso irmão presente, que lhe santifique os esforços e os de seus companheiros na tarefa que lhes foi deferida pelas forças espirituais, deixo­vos a todos vós os meus votos de paz, aguardando para todos nós, discípulos humildes do Cristo, a bênção reconfortante de seu amor.

FLEXIBILIDADE DO ESPERANTO

O Esperanto é um idioma bastante rico e versátil, permitindo exprimir das mais abstratas ideias as atividades mais comuns do dia-a-dia. Suas regras de formação e uso de palavras são simples de aprender e algumas vezes este fato faz passar desapercebida sua flexibilidade. Não foi apenas por ele ser simples de aprender que continua sendo em nossos dias a melhor alternativa de língua auxiliar, mas também porque ele se provou adequado a comunicação em um mundo em continua transformação.

Alguns exemplos de sites em Esperanto que abordam assuntos de diferentes interesses:

Estudos da FEB em Esperanto http://www.febnet.org.br/site/estudos.ph p?SecPad=40

Le Monde Diplomatique em Esperanto http://eo.mondediplo.com/

Akademio Internacia de la Sciencoj http://www.ais­sanmarino.org/

Budhana Ligo Esperantista http://esperanto.us/Budhanaj/

Tutmonda Esperantista Junulara Organizo http://www.tejo.org/

Fakgrupo (IKEF) http://sites.google.com/site/ikefesperant o/prezento

FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

Na sua forma mais simples as palavras são formadas em Esperanto pela combinação de um radical e uma terminação. O radical é o elemento estrutural básico da palavra e exprime uma ideia geral. A terminação, que está ligada a função gramatical da palavra, delimita o significado:

vir (radical) + o (terminação de substantivo) = Viro (homem)

vir (radical) + a (terminação de adjetivo) = Vira (masculino, viril)

O SUBSTANTIVO

As palavras que indicam nomes de coisas e pessoas são chamadas de substantivos. Todos os substantivos terminam com o:

viro = homem

knabo = menino

tablo = mesa

pomo = maça

ĉevalo = cavalo

libro = Livro

Os substantivos com o sufixo in ao final indicam o sexo feminino, mas, a rigor, não há gênero gramatical em Esperanto. Não há classificação dos substantivos em masculino, feminino e neutro ou regras diferentes para tratá­los como ocorre em outras linguas.

viro (homem)­ virino (Mulher)

knabo (menino) knabino (menina)

ĉevalo (Cavalo) ĉevalino (Égua)

NOMES PRÓPRIOS

Em Esperanto não há regras estabelecidas para a formação ou tradução de nomes próprios é o uso que fixa sua grafia. Da mesma forma que em português eles são escritos com a primeira letra maiúscula:

Adamo

Argentino (Argentina)

Eŭropo (Europa)

Brazilo (Brasil)

Francujo (França)

Zamenhof

Paŭlo

Adonis Salita, em seu curso "Esperanto para um mundo moderno", observa que a tendência de verter para o Esperanto os nomes femininos usando a terminação o (substantivos) vem perdendo força.

O ADJETIVO

A palavra usada para qualificar um substantivo, expressando uma qualidade ou uma característica, é denominada adjetivo. Os adjetivos recebem a terminação a:

granda = Grande

bela = Bonito

forta = Forte

flava = Amarelo (de cor amarela)

vira = Masculino

virina= Feminino

Por causa das terminações não há confusão na ordem das palavras, mas, a forma mais comum de se encontrar nos textos é o adjetivo preceder o substantivo:

granda ĉevalo = um cavalo grande

bela birdo = uma bela ave

floro flava = Uma flor amarela

forta knabo = Um garoto forte

CONJUNÇÃO "kaj"

As palavras invariáveis que servem para unir frases e elementos de uma frase são chamadas conjunções. A conjunção "e" se expressa em Esperanto pela palavra "kaj":

birdo kaj floro = pássaro e flor

O PLURAL

Para indicar que a referência é a mais de uma pessoa ou coisa se utiliza da terminação ­j:

viroj = homens

tabloj = Mesas

pomoj = Maças

ĉevaloj = Cavalos

libroj = Livros

Os adjetivos acompanham o substantivo no plural, assim, recebem também a terminação ­a:

bonaj viroj = homens bons

grandaj Ĉevaloj = cavalos grandes

Quando o adjetivo se refere a mais de um substantivo, ele receber a forma do plural:

belaj birdo kaj floro = Belo passáro e bela flor.

O ARTIGO DEFINIDO

O Esperanto tem apenas o artigo definido LA e ele é invariavel.

la viro = o homem

la viroj = os homens

la tablo = a mesa

la virino = a mulher

la Virinoj = as mulheres

Com um nome próprio apenas se usa o artigo quando um adjetivo o qualificando:

La granda San­Paŭlo (A grande São Paulo)

La malnova Eŭropo (A velha Europa)

La bela Francujo (A bela França)

Francujo"

Brazilo (Brasil) em vez de "La Brazilo"

Argentino (Argentina) em vez de "La Argentino"

O ARTIGO INDEFINIDO

Não existe o artigo indefinido (um, uma) em Esperanto; assim,

"viro" pode se referir a"homem" ou a "um homem" dependendo do contexto.

REFERÊNCIAS

Lorenz, Francisco Valdomiro Lorenz. Esperanto sem Mestre. 9.a Edição, FEB: Rio de Janeiro, Brasil, 1996

Kalocsay, K. Waringhien, G. Plena Analiza Grammatiko de Esperanto. 5.a Edição, Universala Esperanto­Asocio: Holanda, Rotterdã, 1985

Kellerman, Ivy. A Complete Grammar of Esperant. D. C. Heath and Company: Chicago, EUA, 1910 (é possivel encontrá­lo em PDF na Internet)

Saliba, Adonis. Esperanto para um mundo moderno. Internet: http://epm.brazilo.org/epm/

RADICAIS E NOMES DE PAÍSES

Os radicais oficiais e os nomes de países podem ser consultados no site da Akademio de Esperanto: www.akademio­de­esperanto.org

 

SUGESTÃO DE ESTUDO

No Youtube se encontra uma infinidade de vídeos sobre o Esperanto, inclusive o excelente trabalho de Adonis Saliba. Vale a pena empregar algum tempo assistindo esses vídeos e tentar acompanhar as falas para aprimorar a pronúncia. Há muitas palavras no Esperanto que se parecem com as portuguesas, o que pode levar no início a uma dificuldade na pronúncia.

SUGESTÃO DE DICIONÁRIO

Na Internet se encontram com facilidade dicionários de Esperanto, como o excelente Reta Vortaro (www.reta­ vortaro.de) e programas de tradução. Na versão impressa, recomendamos o trabalho de Allan Kardec Afonso Costa publicado pela FEB. A 3a edição tem dois volumes: Português­Esperanto e Esperanto­Português.

EXERCÍCIO

A lista de palavras abaixo foi recolhida em textos escritos em Esperanto. Sem consultar o dicionário, identifique quais são os substantivos, os adjetivos, as que estão no singular e no plural? Tente também identificar por si próprio o significado delas e somente ao final confirme no dicionário se acertou:

vorto, hundoj, plena, gramatiko, blanka, juna, muziko, domo, landoj, varma, bicyklo, sankta, adreso, novaj, floroj, doktoro, bona, telefono, televido, tranjo, biblio, evangelio, Mateo, Jesuo, planedo, Tero, tempo, Platono, respubliko, leĝoj, ideala, individuoj, historio, riĉaj, politika, campo, lumo, bovino, hundino, amo, ronda, bela, filo, Dio, nomo, Brazilo, Usono, edzo, edzino, ago, reago, spirito, spiritoj, spirita, spiritista, spiritismo, spiritisma, doktrino, filozofio, mondo, Argentino, Andreo, libroj, materio, materia, homo, homa, Portugalujo, portugalo, portugala.

Fonte:  Boletim GEAE, 20, n. 548, janeiro de 2012